Capítulo 3. Conjunto Redundante de Discos Independentes (RAID - Redundant Array of Independent Disks)

3.1. O que é RAID?

A idéia básica por trás do RAID é combinar diversos discos pequenos e de custo baixo em um conjunto, para atingir objetivos de desempenho ou redundância inatingíveis com um disco grande e de custo alto. Este conjunto de discos aparece para o computador como uma única unidade ou disco de armazenamento lógico.

O RAID é um método no qual as informações são espalahadas por diversos discos, usando técnicas como o striping de disco (RAID nível 0), o mirroring de disco (RAID nível 1) e o striping de disco com paridade (RAID nível 5) para atingir redundância, menor latência e/ou aumentar largura de banda para acessar ou gravar em discos, e maximizar a habilidade de recuperação de quebras de disco rígido.

O conceito fundamental do RAID é que os dados podem ser distribuídos ao longo de cada disco do conjunto de maneira consistente. Para fazer isso, primeiramente os dados precisam ser quebrados em pedaços de tamanho consistente (geralmente de 32 K ou 64 K, apesar de poder usar tamanhos diferentes). Cada pedaço é então gravado em um disco rígido no RAID, conforme o nível do RAID usado. Quando os dados tiverem que ser acessados, o processo é revertido, dando a impressão de que os discos múltiplos são um disco grande.